• Água de menos é melhor que água de mais: as orquídeas não gostam de
    ambientes encharcados, suas raízes apodrecem e abrem-se as portas para
    ataques de fungos, bactérias e outros parasitas. O ideal é que sua planta
    esteja colocada em um substrato drenável (como casca de pínus ou fibra
    de coco) e em vasos sem pratinho. A rega deve ser feita quando percebe-
    se que o substrato está seco, o que traduz-se em mais ou menos 1 vezes
    por semana. Durante a floração as orquídeas necessitam um pouco mais
    de água, deve-se evitar pulverizar água diretamente nas flores, para evitar
    fungos que pode apodrecê-las. Caso você ganhou uma orquídea montada
    em um vaso fechado (sem furo, sem prato) aproveite a floração e depois
    transfira sua orquídea para um vaso próprio para o cultivo.
  • Nutrição sempre é bom:  uma boa adubação mantém a sua orquídea com
    saúde e vigor favorecendo as futuras florações. Pode se usar um adubo
    líquido como o NPK 20:20:20, somente respeitando a dosagem fornecida
    pelo fabricante. Evite adubação durante o período de floração.
  • Poda para florescer: quando as flores caem, a poda deve ser feita com
    um corte na diagonal, logo acima do primeiro ou segundo gomo, deixando
    um palmo de caule. Para cicatrizar o local onde foi feito o corte, pode-se
    colocar um pouquinho de canela. Após algumas semanas, o novo broto da
    orquídea já começa a surgir para florescer novamente.